Novas marcas portuguesas de cosmética

O mercado da cosmética nacional está vivo e recomenda-se, felizmente. É com grande alegria que vejo nascer nos últimos anos novas e corajosas marcas nesta área com, não só marcas nacionais, mas todas elas encabeçadas por mulheres que muito, muito admiro. Hoje falo sobre cada uma delas, e conto-vos um bocadinho das histórias que conheço.

Kivens

Esta é uma marca que nasceu da vontade da Elisabete Ramalho, gestora convertida em formuladora por motivos pessoais. A história da Elisabete é um pouco como a minha, em certa parte. Depois de uma vida de pele saudável (esta parte não tive a sorte de ter ahah!), de repente a Elisabete viu-se com duas doenças cutâneas graves em simultâneo: rosácea e psoríase. Desesperada com os tratamentos farmacológicos e seus efeitos adversos, deu por si a procurar soluções cosméticas para a ajudar e com poucas opções no mercado.

Assim nasce a Kivens, que conta neste momento com dois produtos: a espuma de limpeza e o creme hidratante, perfeitos para pele sensível por todos os motivos: tendência atópica, tendência acneica, rosácea e simplesmente para manter a pele saudável sempre. Que, no fundo devia ser o objectivo de toda a gente, independentemente de todos os outros. Esta mini linha é a adjuvante perfeita para qualquer tratamento ou rotina mais “activa”, gostei muito de ambos os produtos e um dia quero um creme em versão mais rica para a minha pele demasiado seca, esta é ideal para peles normais, oleosas e mistas.

Made in Youthland

A Diana Carriço, fundadora da marca e também formuladora, é arte. E não só por ser designer de formação, mas porque a arte que é transparece nos seus produtos, que são obras de arte. A premissa da fundação da marca foi a transparência que não encontrou em muitas marcas que cosmética que assentam em sonhos e promessas vãs e prometem resultados humanamente impossíveis.

Surge a Made in Youthland, uma linha completa de produtos que são propositadamente unissexo (porque a pele é assim, democrática e toda a gente tem uma), em que o componente em comum a todos os produtos é o óleo de grainha de uva, poderoso hidratante e antioxidante. Destaco o óleo bifásico que é magnífico e me faz lembrar vinagrete balsâmico, o que por por algum motivo me faz sorrir.

Herbes Folles

Gosto muito da frase que dá nome ao livro “The perks of being a wallflower” e acho que é a frase que melhor descreve a Herbes Folles. Eu explico. Herbes folles, em francês, traduz-se para ervas daninhas. A Mariana, dona e fundadora da marca, é uma entusiasta da botânica, que descobriu no Brasil. Eu também sou, tendo sido uma das cadeiras de que mais gostei na faculdade, onde percebi muitos dos chás que a minha avó paterna faz para tudo. “Esse é para esfregar e não para beber”. Ela sabia, porque este conhecimento lhe tinha passado pelas minhas antepassadas, mas garanto que muito dele tem uma base científica e, quem considera as plantas inócuas por serem naturais subestima tremendamente o poder da natureza e revela uma profunda ignorância.

Aquilo a que hoje chamamos e tratamos como erva daninha, tem inúmeras propriedades e utilizações nas mais variadas áreas. Podem descobrir mais sobre as plantas no site da Herbes Folles e das suas propriedade que são maioritariamente humectantes, hidratantes e com um extrato de chicória pré-biótico. Pessoalmente, acho que toda a cara precisa de uma “Névoa”, para mim, o produto-estrela da marca. Uma bruma bifásica com hidrolato e óleo que deixa a pele lindamente luminosa e bela, ou como digo muitas vezes “frigideira de bifana em fim de noite”. Nunca disse que não era erva daninha.

Catarina Barbosa Skincare

A Catarina tem outra história magnífica. Engenheira química que trabalhou nas mais diversas áreas da indústria mas, para onde fosse, sentia aquele bichinho da cosmética a puxar. Contemplou todas as possibilidades para ter a sua marca e, como é uma mulher corajosa, foi pelo caminho mais difícil. Montou a sua fábrica em Vila Nova de Milfontes e pôs mãos à obra, tratando de certificações, fornecedores… tudo! Assim, nasce a menina dos seus olhos, a sua marca. Inspirada por outras mulheres portuguesas valentes como ela, todos os produtos nos recordam alguém.

Começou com aquela cujo nome é uma marca: Amália. Símbolo da portugalidade a viajar para as casas-de-banho de todo o mundo. Este óleo é emoliente como todos, mas também antioxidante e promete ajudar a regular qualquer pele. Nada temam, peles oleosas. Entretanto mais nomes se juntaram à Amália, nomeadamente o que aqui veem e já testei, o sérum Maria. Marias há muitas, bem sabemos, mas esta é A Maria de Lurdes Pintassilgo, também ela engenheira química e a primeira Primeira-Ministra do nosso país. Está muito bem representada, a Eng.ª Maria de Lurdes Pintassilgo neste sérum hidratante que é bem mais que isso. Desde uma base humectante de aloe vera, até ceramidas vegetais e probióticos, este é um sérum universal que pode ser usado até por pele sensível e ajuda a pele a ficar menos desidratada e mais saudável. Estou em falta, mas hei-de testar os restantes produtos assim que consiga, também.

E vocês, já conheciam estas marcas e grandes senhoras?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s