A Expocosmética: Uma novela que tinha 3 actos

Como provavelmente leram por esta blogosfera fora, a expocosmética deu-se este fim-de-semana. Eu, a Lazy Guida, a Pindérica e a Madame Turbante decidimos que íamos as 4 da vida airada aceitar o transporte oferecido pela organização e aproveitar para enfeirar e estar com as nossas portuenses favoritas como as manas Pretty, C&C e a Patuxxa (que é 50/50 ahah), que infelizmente não nos vemos com tanta regularidade como gostaríamos.

A viagem decorreu sem incidentes, chegámos à feira e o check-in blogger ainda não tinha aberto, o que nos deu tempo para fazer um magnífico pic-nic bem agradável onde cada uma de nós mostrou os seus dotes culinários ou os da pastelaria que estava mais próxima, uma excelente ideia que tivémos evitámos fila, confusões e comemos melhor que uma simples sandes gordurosa da Pans que era o que havia na feira (não é mau comparado com a FIL, no entanto! Ainda não chegámos à parte das reclamações).

Foto brutalmente (e de forma autorizada) roubada à Lazy Guida

Depois de reestabelecidas da viagem e em óptima companhia, lá fomos enfeirar feiamente à feiraa! Devo dizer que 8 bloggers juntas são uma força da natureza e limpámos alguns expositores como o da Macadamia na SK Pro e, em parte, o da Superfacialist by Únna Brennan na Kitchen Makeup (mea culpa, probably ahah), foi algo digno de se ver ahah!

Mais uma roubada à Lazy Guida!
Foto pertencente à Pindérica, obrigada!!

Eu não tirei fotos na feira porque, adivinhem? É verdade, sou a pior blogger do universo e esqueci-me da máquina fotográfica na bagageira da C&C!! Mas, para compensar, vai haver um vlog que eu e a Pindérica filmámos durante o nosso fim-de-semana, fiquem atentas!!

Algumas das compras e o Serozinc que tinha encomendado à Patuxxa

A Guida e a Inês separaram-se então de nós (com grande pena nossa) e regressaram a Lisboa, pelo que eu, a Pindérica e a Patuxxa aproveitámos a boleia da C&C para o Porto, passando primeiro pelo nosso Alojamento para fazer o check-in, fazendo-as apanhar a seca da vida delas, enquanto o porteiro do mesmo alojamento fazia o check-in apontando manualmente num livro as informações da forma mais lenta que já vi na vida, depois de discorrer durante algum tempo sobre as suas ascendências Celtas, nas quais estavamos tão interessadas (not). Eis que quando entramos no quarto descobrimos que:

a) A cama ocupava o quarto todo;
b) A casa de banho era partilhada com toda a gente e tinha sido limpa há demasiado tempo atrás.

Com pouco tempo para pensar nisto, lá saímos e seguimos para comer uma espectabulástica francesinha no Aviz seguida de um excelente copo nos bar Maus Hábitos, onde já queria ir há séculos!

A gloriosa francesinha

O magnífico gin tónico!!!

Voltámos para o quarto, onde passei uma noite a recordar as minhas aulas de parasitologia durante um bocado um pouco maior do que gostaria.

No dia seguinte, seguimos de manhã para o centro do Porto visitando algumas partes da cidade, almoçámos e retornámos à Expo.

A “bista” era bonita!

Achei este recanto patusco

Santa Pindérica com o seu magnífico sentido de orientação e jeito para mapas, nenhum dos quais eu possuo

Não consegui decidir de qual gostei mais, blasfémias à parte, é hilariante!

Tudo correu portanto maravilhosamente, até ao momento em que teríamos de apanhar o autocarro de volta para Lisboa. Esperámos tempos infinitos no local onde os tínamos visto partir no dia anterior e nada. Eis que a Pindérica me deixou com as malas, enquanto se foi informar ao balcão de bloggers, e volta com a informação de que os autocarros estão na lateral e, provavelmente já teriam partido. Pânico, horror, vontade de bater em alguém, lá fomos a trote a arrastar as nossas tralhas e a fumegar um bocado. Lá estavam os 3 autocarros, eis que o primeiro motorista nos grita, com ar de diva “não tenho mais lugares!!!”, o mesmo diz o segundo, o terceiro diz-nos para entrarmos e vermos. Eis que um grupo de pseudo-profissionais de estética (PSEUDO) absolutamente histéricas, se recusa a deixar-nos sentar nos únicos dois lugares juntos que existiam, alegando que eram para uma amiga. Depois de alguns berros da parte delas, de um pedido da Pindérica para o motorista mediar a situação (eu estava um pouco mais atrás no autocarro, não ouvi sequer tudo), ficámos em dois lugares separados parte da viagem (agradeço à Maria Elisbão mais uma vez ter sido uma fofa e ter trocado de lugar com a Pindérica), e a parte boa foi termos convivido com algumas pessoas que não teríamos de outra forma!

Ficámos próximas de um grupo muito divertido de esteticistas e manicures e fomos na amena cavaqueira grande parte da viagem, depois da neurose que inicialmente nos foi provocada.

Moral da história: quanto à organização do evento, nada correu bem (não conhecemos sequer ninguém da organização), mas felizmente existiram muitas outras situações fantásticas e com pessoas fantásticas e simpáticas que compensaram a chatice. No entanto, a experiência não me deixou qualquer vontade de voltar a aceitar um convite para fazer a cobertura da feira, pois como já disse, quanto à maneira como fui recebida, não tenho qualquer elogio a tecer.

19 thoughts on “A Expocosmética: Uma novela que tinha 3 actos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s