Review – Anton Beill Hairdresser

Como todas as mulheres, continuo sempre à procura do cabeleireiro da minha vida. Quem é que não tem traumas profundos das “Evas Cristinas” (a minha era Teresinha mas decidi roubar o nome da de uma amiga minha porque é imensamente melhor) do bairro que faziam aqueles escadeados a começar a dois dedos da raiz e nos fizeram ter um look semelhante a uma mullet (buiseness on the front, party on the lower layers). A grande dificuldade da minha vida tem sido, até há pouquíssimo tempo, comunicar com o/a cabeleireiro/a.

Quem nunca saiu de um cabeleireiro com vontade de chorar perante o horror que tem na cabeça que atire a primeira pedra aos meus traumas!
Depois desta experiência traumática, percebi que cabeleireiros de centros comerciais também não são para mim, tendo sido antecedida por uma experiência igualmente traumática numa loja da mesma cadeira em que pedi para as madeixas mais longas me baterem pela boca (no máximo) e, como disse uma amiga minha, a única maneira de ter a boca no lugar onde o meu cabelo estava, era tendo um AVC.
Assim pensei que chegava de experiências que claramente não estavam a correr bem e, virei-me para locais mais caros e prestigiados, com maior probabilidade de correr bem. Fui ao Samuel Rocher uma vez, ficou giro, gostei mas é caríssimo e nada de transcendente.
Depois fiquei indecisa entre o Facto Bairro Alto e o Anton Beill. Decidi-me pelo último! A primeira experiência foi no Verão e, por um acaso, calhou-me a Kelly
A parte verdadeiramente irónica é que a primeira vez que consegui comunicar com uma cabeleireira, foi em inglês ahah! Perguntou-me o que queria, deu-me imensas sugestões, disse-me como tratar melhor do cabelo… Tudo o que eu sempre pedi numa cabeleireira!
Nunca pensei encontrar um local de onde saísse feliz e exactamente com o que quero! Tenho ainda alguma curiosidade em experimentar o Facto porque é tão ubber cool e sempre será, pelo menos para mim, mas definitivamente ali sei que ficarei sempre bem servida!
Conclusão: atendimento excelente, personalizado, vale o dinheiro, sem esperas ridículas, é à hora, é à hora sem ser preciso uma TARDE para cortar o cabelo. Aproveito para acrescentar que eu faço apenas corte e brushing já que (ainda) não pinto. Fidelizaram-me, pronto! E olhem que, em cabelos, não sou cliente fácil, mas sair feliz de um cabeleireiro, para mim, é super importante para a minha auto-estima capilar!
Eu gosto de fazer estas reviews de cabeleireiros porque acho extremamente difícil encontrar boas referências na internet! Por favor emitam feedback se gostam ou não de as ver! Fica o resultado final:

30 thoughts on “Review – Anton Beill Hairdresser

  1. Vanessa Santos Almeida diz:

    Eu costumo ir ao Griffe Hairstyle que é da Helena Vaz Pereira (que costuma pentear as meninas nos editoriais da Vogue e ganhou o prémio da, Fashion TV, de melhor Hair Stylist, o ano passado).
    O corte é carissimo (pra cima dos 60€ com desconto de agencia incluido), mas é Tailor Made e a Helena é mesmo muito boa. Neste espaço existem cortes mais baratos, pois o preço varia de acordo com a hierarquia dos cabeleireiros.

    Beijinhos

    Gostar

  2. Tudo M'irrita diz:

    Ai sarita não te metas nas facto que tive lá um par de desgostos! Onde agora vou sempre é ao WIP- Hairport, na bica! lá também mal se fala português e têm fama de ser extravagantes nos penteados mas já lá vi velhotas de bairro a acertar as pontas 🙂 e não é estupidamente caro, é bem em conta para o tratamento que tens!

    Gostar

  3. Vanessa Santos Almeida diz:

    Bem toda a gente na blogoesfera a cortar e decidi cortar também o meu! Ontém liguei para uma amiga que anda sempre com o cabelo bem cortado e perguntei-lhe onde ia e lá fui eu a uma cabeleireira que trabalha para a Sebastian.
    O resultado foi este http://diariodeumabeautyjunkie.blogspot.pt/2013/01/new-hair-cut.html
    Gostei mas ainda estou em choque, tirei um palmo de cabelo 😡 Mas enfim estava muito estragado e já não havia Fekkai que o salvasse, agora tenho de ter mais cuidado e deixá-lo crescer saudável.

    Beijinhos

    Gostar

  4. Anais diz:

    Eu vou ao 244 Avenida e não consigo trocar o Ricardo por nada (conheci-o no Tony&Guy do Chiado e tenho-o seguido desde então). Alguém que olha e mexe no no nosso cabelo antes de o lavar, que percebe os jeitos naturais e que pergunta qual a nossa rotina diária antes de avançar para o corte. Já me impediu de fazer loucuras graves e, apesar do preço de tabela ser puxado, garanto que o corte dura uma eternidade. Uma vantagem: a melhor cadeira para lavar a cabeça ever!
    http://entreameianoiteeastres.blogspot.pt/

    Gostar

  5. Carla diz:

    Olá Mia!

    Queria agradecer-te imenso pela dica! Tive um desastre capilar este fim de semana num cabeleireiro que fui experimentar, e como tive visto este post, a Kelly ontem salvou-me! É de facto um óptimo salão, e já não mudo! Super atenciosa, dá imensos conselhos, e de facto, percebe o que queremos dizer…Já fui a alguns sítios onde paguei o dobro e não vim melhor servida!

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s