A ciência da beleza – Parabenos: moléculas do mal ou bodes expiatórios?

Segundo creio, este terror face aos parabenos advém de toda uma campanha da comunicação social que divulgava estudos em que tinham sido encontrados parabenos em tumores.

Em relação às correlações directas com cancro: toda a gente sabe que fumar causa cancro do pulmão e as pessoas continuam a fumar. Toda a gente sabe que os enchidos e produtos fumados causam cancro do estômago e continuam a ingeri-los, porquê a histeria em relação aos parabenos? Creio que é por ser algo em que se pode culpar terceiros pelos nossos males já que em relação aos outros sabemos os riscos que corremos e escolhemos corre-los.

Assim, face a esta incerteza , as empresas tiveram de se adaptar aos desejos dos consumidores e muitos rótulos passaram a incluir a frase “sem parabenos”.

Agora vem a parte da explicação racional das coisas. O que são parabenos, afinal? São moléculas que são incluídas nas formulações em concentrações que, geralmente, não passam os 2% (mas tudo depende da quantidade de água do produto) e servem para conservar, ou seja, impedir que cresça bicharada dois dias depois de abrirem o vosso creme favorito. Os mais usados são o Propilparabeno, o Metilparabeno e o Etilparabeno e seus sais.

São os conservantes mais seguros, baratos e com eficácia e toxicologia mais conhecidas do mercado, daí serem tão amplamente usados. Mas, nem só na cosmética encontram estes conservantes, estão também presentes nos alimentos e fármacos.

As correlações entre os parabenos aconteceram quando se detectaram elevadas concentrações de parabenos não degradados num tumor mamário. Isto atribuiu-se, na altura ao uso de desodorizantes com este componente. Leiam esta conclusão de um estudo realizado (estudo completo aqui):

Nos diversos artigos disponíveis nos bancos de dados eletrônicos observou-se elevado número de trabalhos que comprovam a ação estrogênica dos parabenos e também artigos relacionados a produtos como alimentos a base de soja, plásticos e medicamentos que também poderiam ter esta ação.
Quando comparados ao hormônio endógeno estradiol, os parabenos são denominados fracos estrogênicos. Dessa forma, alguns autores sugerem que os parabenos por si só não seriam capazes de induzirem o aparecimento de câncer. Também foi verificado que o câncer de mama pode ter outras causas distintas, como por exemplo, genética, e não só estar relacionado com a presença de parabenos.
A presença desses conservantes de forma intacta nos tecidos mamários retirados de pacientes com câncer demonstra que de alguma forma esses parabenos não foram hidrolisados por esterases presentes na pele e trato gastrointestinal. E assim se acumulam em tecidos específicos.
Substituir esses compostos estrogênicos por outros sem essas características está relacionado a mais um cuidado tomado para evitar a exposição excessiva e desnecessária a compostos que mimetizem a ação do estrogênio. Essa idéia de produtos de origem vegetal (claim de naturais) vem ganhando espaço na mídia e perante os consumidores. Entretanto essa medida não garante a diminuição do aparecimento de câncer mamário.

Ou seja, há coisas bem piores que os parabenos, fiquem descansadas e usem os vossos produtos preferidos sem preocupações pois, por agora, ainda não se conseguiu provar nenhuma correlação directa, apenas toxicidade, daí terem limites legais estreitos.

5 thoughts on “A ciência da beleza – Parabenos: moléculas do mal ou bodes expiatórios?

  1. Maria diz:

    gostei deste post baby como não poderia deixar de ser 😉 muito esclarecedor e acessível ao mesmo tempo.

    sinceramente nunca me preocupei demais com isso. ter ou não ter parabenos não é uma característica que me faça comprar ou deixar de comprar algum produto 😉

    bjinho*

    Sorteio de um delineador em gel SHISEIDO e de um batom super fierce da ILLAMASQUA. Participa 😉
    http://makeupblah.blogspot.pt/2012/05/sorteio-be-fierce-no-blah.html

    Gostar

  2. Lum diz:

    Concordo contigo.
    Eu acho que hoje em dia, tudo faz mal e pode causar essa doença. Mas quando é em imensa quantidade e 2% não é nada.
    O composto (agora não me lembro do nome :x) adicionado aos shampôs e pastas de dentes para que estes façam espuma também pode ser cancerígeno, mas lá está… em grandes quantidades, não em tão pequenas como as que esses produtos contém.

    No meu caso, não posso usar cremes com parabenos, porque sou alérgica, além de ficar toda vermelha mal ponho, no dia a seguir incha a zona onde passei o creme :/ Se não fosse isso, usava na mesma 😛

    Achei este post muito produtivo mesmo, gostei 😀

    Beijinhos

    Gostar

  3. Akuma Kanji diz:

    Obrigado pelo esclarecimento 🙂 Por acaso não sou das pessoas contra os parabenos porque nunca soube o que eram e de certeza que não foram eles que trouxeram mal ao mundo. Como tu dizes, existem coisas bem piores e que utilizamos diarimente com alguma negligência da nossa parte (enchidos, tabaco, etc…).

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s